1887

Panorama da Saúde: América Latina e Caribe 2023

image of Panorama da Saúde: América Latina e Caribe 2023

Esta segunda edição do Panorama da Saúde: América Latina e Caribe 2023, preparada conjuntamente pela OCDE e o Banco Mundial, apresenta um conjunto de indicadores sobre estado de saúde, determinantes da saúde, recursos e utilização dos serviços de saúde, gastos e financiamento da saúde, qualidade da atenção à saúde, força de trabalho em saúde e envelhecimento da população em 33 países da América Latina e do Caribe. Cada um dos indicadores é apresentado em um formato de fácil utilização, consistindo de gráficos que ilustram as variações entre países e ao longo do tempo. Os indicadores também são acompanhados de breves análises descritivas destacando as principais conclusões associadas aos dados e quadros metodológicos contendo a definição dos indicadores e eventuais limitações na comparabilidade dos dados. Esta edição do Panorama da Saúde: América Latina e Caribe 2023 também inclui análises temáticas sobre dois tópicos de grande importância para a construção de sistemas de saúde mais resilientes: o impacto da pandemia da COVID-19 nos sistemas de saúde da América Latina e Caribe e os desafios das mudanças climáticas para a saúde.

Portuguese Also available in: English

Mortalidade por lesões

Na região das Américas da OMS, as lesões são uma das principais causas de morte e incapacidade para todas as faixas etárias e tiraram mais de 650.000 vidas em 2019, sendo responsáveis por 9% de todas as mortes (WHO, 2022[1]). Os homens tiveram taxas de mortalidade muito mais elevadas que as mulheres na região da ALC em 2019, com 102 mortes por 100.000 para os homens e 27 mortes por 100.000 para as mulheres, em comparação com 55 e 20 mortes por 100.000, respectivamente, entre os países da OCDE (). A Colômbia mostra a maior diferença de gênero com uma mortalidade de lesões mais de seis vezes maior entre os homens do que entre as mulheres, seguida por El Salvador e São Cristóvão e Névis com taxas mais de cinco vezes maiores. Por outro lado, Cuba e Bolívia mostram as menores diferenças de gênero com taxas de mortalidade por lesões de 2 e 2,4, respectivamente.

Portuguese Also available in: English

This is a required field
Please enter a valid email address
Approval was a Success
Invalid data
An Error Occurred
Approval was partially successful, following selected items could not be processed due to error