1887

Perspetivas económicas em África 2017

Empreendedorismo e industrialização

image of Perspetivas económicas em África 2017

O relatório Perspetivas Económicas em África 2017 apresenta a situação atual do continente africano e as previsões para os próximos dois anos. Este relatório anual analisa o desempenho de África em áreas fundamentais: macroeconomia, fluxos financeiros externos e receitas fiscais, políticas comerciais e integração regional, desenvolvimento humano e governação. Na sua 16ª edição, o relatório analisa de forma detalhada o papel dos empreendedores no processo de industrialização em África. O relatório propõe medidas práticas que os governos africanos poderão adotar, com vista à implementação de estratégias de industrialização eficazes. As políticas que visam a melhoria das competências, os clusters empresariais e o financiamento das empresas podem eliminar importantes obstáculos que pendem sobre as empresas africanas privadas. A secção com notas individuais de cada país resume o crescimento económico recente, as previsões sobre o produto interno bruto em 2017 e 2018 e salienta as principais questões sobre as políticas, enfrentadas por cada um dos 54 países africanos. O anexo estatístico (disponível apenas online) compara variáveis económicas, sociais e políticas específicas de cada país.

Portuguese French, English

.

Editorial

OECD Development Centre

A 16ª edição do Perspetivas económicas em África evidencia o facto de que o desempenho económico africano está a refletir os perigos da economia global. O crescimento real do PIB da região abrandou para 2.2% em 2016, devido sobretudo à contínua queda nos preços das matérias-primas e ao fraco crescimento económico mundial. A África Oriental foi a região que registou o mais rápido crescimento, com 5.3% de crescimento real do PIB, seguida do Norte de África, com 3%. O crescimento nas outras regiões foi anémico, variando de um mínimo de 0.4% na África Ocidental, arrastado pela recessão na Nigéria, para 1.1% na África Austral, com a África do Sul, a maior economia da região, registando apenas 0.3% de crescimento.

Portuguese French, English

This is a required field
Please enter a valid email address
Approval was a Success
Invalid data
An Error Occurred
Approval was partially successful, following selected items could not be processed due to error